Se dedicar a um esporte é algo especial e agora que estou com quase 1 ano de dedicação ao ciclismo existe muita coisa para contar. Bastante coisa mudou na minha vida para melhor. Então resolvi fazer este post para listar um pouco das experiências, dos benefícios e dos perrengues enfrentados!

Vamos começar pelos benefícios!!!!

1. Foco e dedicação

Como muita gente sabe o meu foco de treinos era a prova 9 de Julho, estabeleci como meta fazer podio esse ano. Então todos os meus treinos tinham esse objetivo. Isso foi muito legal, diversos amigos me ajudaram em especial o Ne Furriel, da BASE Treinamento de Força e seus ensinamentos Jedi. Mas sem dedicação nada acontece. Vivendo em São Paulo é difícil achar lugares para treinar mas com empenho consegui achar espaço no meu dia para um pedal de pelo menos 1 hora/dia. Pedal em dias intercalados com a academia. O que fica de lição aqui? Para mim são dois pontos:

  • Jeito sempre tem, mas algo terá que ser sacrificado.
    • A melhor opção para mim sempre foi a manhã. Pelo simples fato de eu conseguir chegar à ciclovia da marginal com ela aberta. Isso fez com que os meus treinos se concentrassem na sua grande maioria na parte da manhã, com algumas exceções. Independente do horário e como você vai fazer, o importante é reservar o horário. Se vai ser de manhã, levante e vá treinar. Nada de ficar dormindo, colocando soneca etc… Se vai ser no fim do dia, depois do trabalho, volte direto e vá treinar. Nada de querer mudar os planos, passar em supermercado, cabelereiros etc… Esse é o horário do seu treino e deve ser um horário sagrado. É o momento onde você põe tudo de lado e vai cuidar de você!
  • Com o tempo os resultados te impulsionam
    • Para mim o mais legal foi o ganho em saúde. Até 2005, quando ainda estava na faculade e fazia ABSOLUTAMENTE tudo de bicicleta eu não precisava me preocupar com balança, com o que eu comia e suas quantidades. Já em 2006 eu estava formado, levando uma vida de profissional de TI cheio de viagens e diversas horas sentado. O resultado? Engordei e muito, chegando nos idos de 2015 aos 99kg. Com o volume alto de treinos eu voltei ao tempo de faculdade!!!! Comer a vontade sem me preocupar. Quer coisa melhor que isso? Claro acompanhamento nutricional é preciso, mas isso é assunto para outro post! uaheuaheuaauhu

O que acho importante dizer aqui é que não existe receita de bolo, não existe regra fixa para todos. E se você como eu não é um atleta profissional, diversas coisas coisas vão sair do planejado. O importante nesse caso é ter bastante jogo de cintura e não atrapalhar os treinos.

Durante esse ano de treinos tive períodos intensos de trabalho com diversas horas extras e também tive o falecimento de ciclistas amigos próximos que me deixaram muito impactados. O que fazer nesse caso?

No caso do trabalho vai sempre existir um dia ou outro que não vai rolar. Ficou até a meia-noite no escritório e não vai conseguir pedalar no dia seguinte? Sem problemas. Faça 20 minutos de esteira. Não dá para fazer de manhã? Tudo bem jogue para o fim da tarde.

No caso do falecimento dos meus amigos, não havia muito o que fazer. O abalo emocional foi grande. O jeito foi ir voltando aos poucos, conforme o ânimo foi deixando. Não é fácil, mas com perseverança se chega lá. São pessoas muito importantes para mim e sinto falta deles, mas não vou deixar de pedalar por conta disso. Nóssa vida continua.

2. Amizades

A sua dedicação começa a gerar ânimo e contagiar os demais. Você vai ver como tem gente se dedicando como você a sua volta. No seu trabalho vai ter cara que corre, que nada, que pedala e as suas experiências de treino vão virar assunto no café e na hora do almoço.

Pessoas que não estão fazendo exercício vão se interessar e voltar a praticar. No último cliente em que estive trabalhei um tempo com o Maurício Lisboa, companheiro de trabalho que virou amigo. Na época que nos conhecemos ele não estava praticando nada. Ficamos conversando sobre os treinos, ele resolveu voltar a praticar natação, está participando de provas e quer fazer uns Triathlons!!! Já fomos dar uns rolês juntos. Isso é sensacional, são amizades que o esporte trás e que vão continuar te impulsionando a seguir treinando.

3. Disciplina

Tudo isso que eu falei até agora tem como único resultado a disciplina. Mas para mim o que mais me motivou, foi o como pude aplicar a disciplina esportiva em diversas outras partes da minha vida pessoal e profissional. A disciplina nos ajuda a prever melhor como as coisas serão no futuro, avaliar melhor as consequências e os perigos e com isso se preparar mehor. Dedicar-se a um esporte não é barato, mas também não precisa ser caro. A disciplina me ajudou a juntar dinheiro, me ajudou a me planejar melhor e inclusive definir melhor todas as minhas metas. Nesse processo algumas tiveram que ficar para depois, mas faz parte. A gente tem que colocar na cabeça que não dá para abraçar o mundo de uma vez só.

Ler livros de esportistas ou de pessoas ligadas ao esporte é muito inspirador e ajuda muito a atingir disciplina. Estudar a carreira de grandes atletas como Ayrton Senna, Michael Phelps entre outros nos ajuda a ver que apesar de esses caras terem “um algo a mais” que os permitiu ir mais longe, sem muita dedicação eles não teriam chegado em lugar algum.

Alguns comentários antes de começar a falar dos perrengues….

Mas você deve estar se perguntando nesse momento: “Mas tudo foi lindo maravilhoso nesse caminho de rosas do esporte?” Não, nem tudo é maravilhoso, mas é aí que entra o aprendizado. Não adianta nada propor algo novo na sua vida, como o esporte, se você não está disposto a efetivamente mudar.

Para mim, o maior aprendizado que tive foi de controlar a minha ansiedade, exercer minha paciência e principalmente desprendimento. Os problemas vão aparecer e é nessa hora que você tem duas opções: reclamar, desanimar ou até mesmo desisitir ou se acalmar, avaliar e contornar o problema e seguir. Às vezes descobrimos que o problema nem era tão grande assim. O mais importante nesse caso é ter sempre o foco no seu objetivo, nada vai lhe impedir de alcançar a sua meta, certo? Então levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima.

Agora vamos aos perrengues

1. Ansiedade

Não existe vergonha nenhuma em assumir isso. Quando comecei os meus treinos tinha problemas em definir intensidade. Subia na esteira, mandava o negócio girar a 15 km/h e começava a correr, 2 minutos depois estava morrendo. Parava a esteria com 7 km/h, 10 minutos depois, completamente desanimado. Ia para provas que queria ficar na dianteira. Saía girando feito um retardado, apenas para depois sobrar no pelotão e desanimar.

O meu maior aprendizado aqui é que tudo tem o seu tempo. Apesar de eu pedalar desde sempre, nunca havia me dedicado ao ciclismo com essa intensidade. E com isso nosso corpo demora a desenvolver. Outro ponto muito importante: o ciclismo apesar de não parecer é um esporte coletivo. Sendo assim existem vários fatores que impactam no seu desempenho como: estar acostumado a andar no pelotão, entender como o seu corpo se comporta em um trajeto longo, ter o equipamento correto etc…

Alguns desses pontos vão exigir paciência: entender e respeitar o seu corpo e o ritmo do seu progresso. Outros vão exigir investimento. Não dá para sair comprando todo tipo de equipamento feito um louco, mas dá para ir entendendo qual equipamento está fazendo mais falta e ir planejando a aquisição. Outro ponto importante é que você deve se desprender das marcas. Isso mesmo. Você não tem sapatilha? Não precisar começar comprando aquela super top de R$ 500,00. Pesquise, converse, pergunte. Você vai achar aquela sapatilha muito boa (mas de marca não tão conhecida) pela metade do preço. Lembre-se, até ontem você estava pedalando de tênis, então do tênis para uma sapatilha mediana já vai ser um baita progresso. Quando você virar top foda das galáxias aí sim a sapatilha de R$ 500,00 vai fazer diferença, aí você pode avaliar de comprar.

Cada um sabe onde seu calo aperta e como deve investir seu dinheiro, o que quero mostrar aqui, é que dá para começar sem gastar uma fortuna!

2. Saúde

É muito importante para o atleta entender que praticar um esporte intensamente não é algo simples. Então não faça nada sem supervisão. Importante lembrar que mesmo com supervisão vão aparecer problemas. Quando eles aparecerem procure o profissional correto.

A posição do ciclista na bicicleta de estrada, é bastante agressiva e em alguns casos pode gerar problemas musculares. Com o tempo eu comecei a sentir fortes dores no braço esquerdo. Consultei a super amiga Dra. Vivian Cury que identificou a minha dor como sendo ocasionada por um nervo pinçado por uma vértebra. Como se resolve isso? Com sessões de fisioterapia para botar as coisas no lugar. Invista nisso, ou o seu desempenho será impactado. No meu caso a dor foi controlada, mas ainda estou no meio do tratamento então vai mais um tempo até ficar 100% sem dor.

Mas qual o benefício real disso? O benefício real foi que a Vivian, sendo fisioterapeuta especializada no esporte me recomendou uma séria de exercícios de fortalecimento muscular, que tenho feito religiosamente. A própria Vivian me recomendou uma nutricionista, que conseguiu identificar deficiências na minha dieta e ajustar para que melhorasse o desempenho. O mais importante aqui é que foram feitos exames para garantir que não havia nada errado principalmente com o coração. Já vi vários casos de ciclistas que em uma prova ou em um treino sofreram enfarte, então esse é um ponto importantíssio. Vai dinheiro e tempo, mas com jeitinho e planejamento se consegue tudo.

3. Imprevistos

Imprevistos vão acontecer. Para mim o maior deles foi não poder correr com a minha melhor bike na 9 de Julho. Faltando 3 semanas para a prova, como toda pessoa disciplinada fui fazer manutenção na bicicleta, eu mesmo faço esse tipo de serviço em casa, mas descobri que a gancheira da bicicleta estava quebrada e para completar ninguém tinha o modelo de gancheira dessa bike. A solução seria então sentar e chorar, espernear reclamar com o mundo que eu não tenho sorte???… Óbvio que não. auehaheuaheua

Claro que eu fiquei muito puto de o fabricante não ter a peça. Fiquei mais puto de o dono de uma loja da marca me dizer “Isso não é problema meu.”. Mas e aí? A prova estava chegando e se eu não agisse rápido não ia conseguir participar com alguma chance. Nessa hora a disciplina e o jogo de cintura tem que entrar em cena. Peguei a Aurora (minha bike de competição) e trouxe para casa, peguei a gancheira e tentei levar em torneiros que pudesse fazer uma peça nova. Em paralelo tratei de deixar a Celeste, minha bike de uso diário em condições de competir.

As primeiras tentativas de fabricar uma peça já mostraram que não ia dar certo. Então comprei a peça de um site gringo e bora rezar para chegar a tempo. Em paralelo o Marcão da Mega Bike correu para me arranjar um par de rodas decentes para a Celeste. Tudo muito bom, tudo muito bem: todas as peças chegaram 4 dias antes da prova, eu deixei a Celeste no jeito e bora competir. A maldita gancheira chegou na véspera da prova, nessa altura do campeonato eu já havia decidido correr de Celeste. Não ia dar tempo de deixar a Aurora pronta.

Corri e o desempenho foi ótimo!! Melhora de 7 minutos em relação a 2017 e consegui andar no pelotão o tempo inteiro. Isso mostra que com calma, paciência e disciplina é possível contornar os perrengues numa boa. O Ne disse para mim: “a bike não importa, seu motor tá bom!”

Não podia faltar uma conclusão né?

Para mim a conclusão é que jeito tem para tudo. Você pode investir no melhor equipamento e ser um péssimo atleta. Então dinheiro não necessariamente faz diferença. Você pode não ter todo o tempo do mundo, mas pode ser que tenha 20 minutos por dia. Isso não vai te fazer virar o novo Froome, mas já dá para começar, né?

Para mim o mais importante é que tudo isso tem que ser prazeroso. Foi para a prova e não conseguiu pódio? Não tem problema, com certeza muita coisa boa aconteceu na prova que você aprendeu e vai fazer melhor na próxima. Na véspera da prova eu estava conversando com o Ne sobre a minha estratégia… Depois de algumas mensagens ele me disse: “Vai lá e se diverte!” e foi isso que eu fiz. Pedalei a minha prova, me diverti muito, entrei nos túneis morrendo de medo (faço um post somente sobre isso depois) e foi ANIMAL. Quer coisa melhor que isso? O pódio vai vir na hora certa, enquanto isso vamos nos divertir nessa jornada para ser speedeiro!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s